top of page
Buscar

Santa Catarina é palco de novo recorde mundial de Highline

Atleta norte-americano percorreu 16 metros entre balões no ar, a 2,3 mil metros de altura, no céu de Praia Grande


Santa Catarina vem se consolidando no cenário dos desafios de aventura. No início de agosto, o município de Praia Grande foi palco de mais um recorde de highline, modalidade do slackline praticada nas alturas. O atleta norte-americano Davis Hermes percorreu 16 metros de distância sobre uma fita de 2,5 centímetros, entre dois balões no ar, a 2,3 mil metros do chão.



Para chegar à marca, Hermes, que foi campeão mundial de Highline Freestyle, na Suíça, em 2022, contou com o apoio do atleta catarinense Rafael Bridi, duas vezes recordista mundial de highline. Em 2021, Bridi deixou sua marca no Guiness Book quando cruzou o caminho entre dois balões no ar, também em Praia Grande, a 1.901 metros do chão. O feito deu origem ao curta-metragem Walking on Clouds, que foi finalista do Banff Mountain Film Festival 2022, o maior evento internacional de filmes de montanhismo e esportes radicais. Antes disso, em 2020, o atleta já havia registrado seu nome no livro dos recordes com a maior travessia de highline, 261 metros, dentro de um dos maiores vulcões ativos no Mundo, no Monte Yasur, na ilha de Tanna, em Vanuatu.


Acostumado às alturas, Bridi comemorou o feito de Hermes, seu amigo pessoal. “Nada melhor do que poder dividir momentos inesquecíveis como esse com alguém que faz parte da minha trajetória e que contribui tanto com a evolução do Slackline”, destaca Bridi.


A travessia também deu o tom de um novo desafio de Bridi que vem por aí. Em breve, o atleta catarinense deve anunciar mais um feito para marcar seu nome pela terceira vez no livro do recordes. “Este foi só um aquecimento”, sem revelar detalhes de quando será a sua nova travessia.


Mais sobre Rafael Bridi

Atleta profissional, empresário, produtor e diretor fotográfico, palestrante e consultor, Bridi tem uma longa trajetória ligada ao turismo e a esportes radicais. O catarinense, nascido em Florianópolis, começou a praticar slackline em 2010 e partiu para o highline em 2013. Desde então, vem somando inúmeros prêmios e recordes. Em janeiro, completou o maior highline urbano das Américas, com travessia de 510 metros de distância entre os prédios Mirante do Vale e Conde de Prates, no Centro de São Paulo. A apresentação a 114 metros do chão, por cima do Vale do Anhangabaú, integrou as comemorações pelo aniversário de 469 anos da maior cidade do Brasil.

Comentarios


bottom of page