top of page
Buscar

Origem de Santa Catarina

B7 Films exibe documentário sobre a origem de Santa Catarina na Escola Henrique Veras

Iniciativa faz parte das ações de estruturação do polo audiovisual “Histórias que Salvam o Planeta”


O projeto Cinema na Escola, realizado pela Escola Henrique Veras, da Lagoa da Conceição, em uma parceria com a B7 Films, dá início ao Festival Documentário nas Escolas, com a estreia da obra Meiembipe: Uma História Esquecida no Tempo. O filme, que fala sobre as populações indígenas que habitaram o litoral catarinense, será exibido nesta quarta-feira (24), às 19 horas, para a comunidade escolar.


A participação da B7 no projeto faz parte de um conjunto de ações da produtora de cinema de Florianópolis para a estruturação do polo audiovisual “Histórias que Salvam o Planeta”, que inclui documentários sobre ecologia, sustentabilidade, história, tecnologia, inovação, arte, empreendedorismo e saúde. “Este formato de indústria audiovisual visa escalonar o atual modelo de produção da B7 Films. Além de gerar empregos por meio de uma indústria sustentável e limpa, o objetivo do polo é compartilhar e eternizar conhecimento e legados sobre Santa Catarina em obras cinematográficas”, destaca o cineasta e empresário Jorge Baggio, diretor da B7.


Seguindo as bases de análise feita pelo Observatório Europeu do Audiovisual (OEA), de que o audiovisual gera em torno de US$ 8 de retorno à economia para cada US$ 1 aplicado, estima-se que o setor possa gerar cerca de R$ 160 milhões anuais em retorno de bens e serviços para a economia local. “Além disso, a indústria cinematográfica é estratégica ao recuperar a autoestima das populações locais, valorizar a identidade, levar nossos pontos de vista ao mundo e nossa capacidade produtiva. Sem contar que o cinema é o maior e mais importante indutor do turismo, desejos de consumo e da formação do imaginário humano”, completa Baggio.


Na Henrique Veras, professores e alunos também participarão de oficinas ao longo do semestre. Ao final, serão exibidas produções elaboradas pelos próprios estudantes. “Está sendo muito enriquecedor como conteúdo a ser trabalhado”, comenta a assistente técnica pedagógica da escola, Viviane Oliveira Haubert, sobre o uso do cinema como ferramenta de ensino.

Recentemente, a Secretaria de Estado da Educação aprovou a distribuição de outros dois documentários da B7 Films para as escolas catarinenses: Riquezas da Serra e Por que Florianópolis?. Ao todo, foram entregues 2 mil cópias dos DVDs das obras para as 36 coordenadorias regionais de educação para serem exibidas a estudantes da rede pública. Os documentários produzidos pela B7 servem como recurso a professores em disciplinas que envolvem conteúdos de resgate histórico-cultural, além de promoverem o desenvolvimento da cidadania ao ampliar a reflexão dos alunos sobre a realidade local, identidade cultural, empreendedorismo e sustentabilidade.



A produção de Meiembipe contou com o patrocínio da Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGÁS), Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Os projetos da B7 Films também têm patrocínio de Nexxera, Berneck, BMG, J&A Holding e Bevicred e apoio da Cooperativa de Crédito Únilos.



Sobre a B7 Films

A B7 é responsável por documentários como Meiembipe: Uma História Esquecida no Tempo, Descaminhos da Coxilha Rica, Por Que Florianópolis?, Riquezas da Serra, Jamais Um Poeta Teve Tanto Para Contar e Das Quedas ao Topo: a trajetória de João Neto, que enfatizam personagens e vocações naturais, culturais e históricas de Santa Catarina. As produções já foram lançadas em 22 países, distribuídas pela O2 Play, Globo Filmes e Canal Off, além de estarem disponíveis nas maiores plataformas mundiais, como Amazon, Google Play e YouTube. Descaminhos e Meiembipe foram ainda selecionados para o Prêmio Assembleia Legislativa de Cinema, em 2019, ficando em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Comments


bottom of page